O Ministério Público (MP) e a Polícia Civil de Ribeirão Preto deflagraram na manhã desta quinta-feira, 11, Operação Têmis contra uma organização, composta inclusive por advogados, que fraudavam processos judiciais. Foram expedidos sete mandados de prisão preventiva e 13 mandados de busca e apreensão. Entre os procurados estão quatro advogados e donos de escritórios administrativos.

VEJA IMAGENS DA OPERAÇÃO TÊMIS

Segundo informações, no escritório de advocacia “Lodoli, Caropreso, Bazo e Vidal”, foram presos os advogados Klaus Phillip Lodoli, Gustavo Caropreso Soares de Oliveira, Ângelo Luiz Feijó Bazo e Renato Rosin Vidal.

Batizada de “Têmis” (divindade grega que representa a Justiça), a operação – segundo nota da Polícia Civil – o grupo já estava sendo investigados há cerca de um ano as fraudes judiciais, que somariam  mais de R$ 100 milhões a instituições bancárias. Pelo golpe, clientes e advogados exigiam, na Justiça, supostas diferenças de expurgos inflacionários decorrentes do “Plano Verão”. Os beneficiários seriam correntistas do extinto banco Nossa Caixa, incorporado pelo Banco do Brasil. A investigação, porém, identificou que os autores dos processos – todos estão em sigilo de Justiça – teriam nomes comuns, inclusive muitos homônimos.

“Verificou-se que os supostos autores das ações possuem nomes comuns, com diversos homônimos, não guardando vínculo pessoal ou profissional com o domicílio das contas, ou as comarcas onde foram distribuídas as ações e, na verdade, apurou-se que não eram os verdadeiros correntistas”, diz o comunicado.

“Com isso, a fraude processual baseada em quebra de sigilo bancário e subsequente captação de clientela induziu a erro o poder judiciário e poderia ocasionar um prejuízo estimado aos bancos em torno de cem milhões de reais”, diz a nota.

Os suspeitos foram conduzidos á Central de Flagrantes da Polícia Civil e depois serão encaminhados ao CDP (Centro de Detenção Provisória) de Ribeirão Preto.

Deixe uma resposta